Menu
Projeto terapeûtico
PROGRAMA TERAPÊUTICO PARA PACIENTES
RESIDENTES

 
 
 
 
I        EQUIPE INTERDISCIPLINAR
 
 
II      INTRODUÇÃO  
 
 
III    OBJETIVOS
 
 
IV     METODOLOGIA
 
 
V       DESCRIÇÃO DOS GRUPOS
 
 
VI     DESCRIÇÃO DOS PROJETOS
 
 
VII    AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO
 
 
VII    ATUÇÃO DA EQUIPE
 
 
IX      GRADE HORÁRIA
 
 
 
I – EQUIPE INTERDISCIPLINAR
 
 
MEDICOS PSIQUIATRAS
 
1
Miguel Ramalho Boiça
2
Cyro José Garcia Égea
 
MÉDICO DO TRABALHO
 
1
Fernando de Souza Jacinto
 
MÉDICO CLÍNICO
1
Minoru Matsuda
 
DIRETORA CLÍNICA
 
1
Liane Casaril
 
DIRETORA TÉCNICA
 
1
Liane Casaril
 
GERENTE SERVIÇOS DE SAÚDE
 
1
Vanderlei Macanhan
 
 
ENFERMEIROS
 
1
Eder Alves Martins
2
Marly Eloides Saia Juliani
3
Tatiana Schelleges de Souza
4
Vânia Leticia Morandi
5
Claudio Paulino Salustiano
6
Mirna Juliana Fialho de B. N.
 
 
PSICOLOGIA        
                            
1
Maria Cristina Menossi Sueza
 
 
SERVIÇO SOCIAL
                    
1
Jaqueline Rombi de Lima
2
Maria Aparecida Silva Lopes
 
 
PEDAGOGA 
            
Izabel Olívia Paranhos Vasques
                                                       
NUTRIÇÃO
 
1
Adriana K. Umakoshi Pina
 
DISPENSARIO DE MEDICAMENTOS
 
1
Erica Aparecida Batochi de Oliveira
 
 
PROGRAMA PARA PACIENTES CRÔNICOS RESIDENTES
 
 II – INTRODUÇÃO
 
          
Um dos maiores desafios colocados para os diversos processos de reforma psiquiátrica é a assistência a pacientes graves, internados há longos anos em hospitais psiquiátricos, para alternativas de atendimento na comunidade. São pacientes afastados há tempos da sociedade e da família, submetidos aos efeitos deletérios da institucionalização prolongada, com vínculos sociais esmoecidos e portanto com dificuldade de viver sozinhos e gerenciar sua vida.
Para esses pacientes é fundamental um processo de reabilitação psicossocial que inclua um planejamento terapêutico de acordo com o nível de dependência e dificuldade no convívio social, priorizando questões como lazer, relação afetivas e atividades internas e externas, para uma qualidade de vida satisfatória.
Considerando o ser humano como um todo, o trabalho em equipe tem sido considerado a melhor maneira de atender os pacientes psiquiátricos. Assim o trabalho integrado de profissionais diversos da área da saúde visará uma maior amplitude na compreensão biopsicossocial do paciente.
 
 
III – OBJETIVOS
 
GERAL
 
Promover o desenvolvimento holístico do paciente visando a reinserção social e melhora da qualidade de vida.
 
 
 
 ESPECÍFICO
 
  • Estimular cada paciente nas áreas física, mental, emocional, cognitivo e social;
  • Inserir este paciente no convívio social;
  • Melhorar seu desempenho nas atividades de vida diária;
  • Resgatar sua autoestima;
  • Restabelecer vínculos familiares perdidos devido a longos anos de internação.
  •  
 

IV – METODOLOGIA 

 
                              
Os atendimentos acontecerão semanalmente com duração de uma hora e meia por todos os membros da equipe, incluídos: Assistente Social, Psicóloga, Enfermeira, Terapeuta Ocupacional, Médico Clínico e Médico Psiquiátrico.
Os pacientes moradores foram subdivididos em 05 grupos: D1, D2, D3, D4 e D5. Utilizou-se como critério de subdivisão a significância da deficiência e o grau de comprometimento psíquico.
 
 
 V – DESCRIÇÃO DOS GRUPOS
 
01- Grupo de Higiene
02- Grupo de Coral
03- Grupo de Estimulação Psicomotora
04- Grupo de Estimulação Cognitiva 1
05- Grupo de Estimulação Cognitiva 2
06- Grupo da Terceira Idade
07- Grupo de Providência
 
 
GRUPO DE HIGIENE
 
O Grupo abrangerá todos os pacientes semanalmente, em que serão orientados e estimulados a realização de cuidados especiais, como: cortar as unhas, hidratação, uso do protetor solar, limpeza auricular, cuidados com os cabelos e higiene bucal.
 
GRUPO DE CORAL
 
O Grupo acontecerá semanalmente com ensaio musical de variados ritmos. O grupo tem por objetivo estimular a capacidade de concentração, limite, organização, socialização, melhora na pronuncia das palavras, capacidade de memorização, sequência e ritmo, além de estimular a postura correta, emoção e relaxamento corporal.
 
 
GRUPO DE ESTIMULAÇÃO PSICOMOTORA
 
Realizado semanalmente às segundas-feiras, abrangendo os  grupos D3 e D5. Tem como objetivo estimular os pacientes em seu desenvolvimento global envolvendo atividades físicas, como: caminhadas, recreação, socialização por meio de passeios externos e piqueniques.
 
 
GRUPO DE ESTIMULAÇÃO COGNITIVA I
 
Realizado semanalmente, às quintas-feiras, abrangendo o grupo D1. Tem como objetivo desenvolver habilidades cognitivas como atenção, concentração, memória, aprendizagem, raciocínio lógico e abstrato e habilidades psicossociais como relacionamento interpessoal, capacidade de conviver com os outros... Serão desenvolvidas atividades terapêuticas com dois enfoques diferentes: a primeira abrangerá atividades artesanais e artísticas. Os pacientes nesta atividade utilizarão a pintura em tela, em cerâmica, confecção de tapete, bijuteria, ou seja, atividades que envolvam um produto final que será vendido. Uma parte do dinheiro será revertido a eles em forma de utilização na cantina (compra de doces e refrigerantes). E no segundo enfoque será trabalhado atividades sem a confecção de um produto final que envolvam a utilização de jogos para estimular o uso de calendário, relógio, ou seja, atividades de raciocínio lógico e abstrato, seqüenciarão, categorização...
 
 
GRUPO DE ESTIMULAÇÃO COGNITIVA II
 
Realizado semanalmente, às terças-feiras, abrangendo o grupo D2. Tem por objetivo estimular as habilidades psicossociais dos pacientes e desenvolver componentes sensório-cognitivos afetados pelo longo processo de institucionalização. As atividades serão trabalhadas por meio de jogos e dinâmicas, como mímica, adivinhações, sons, pinturas e quebras-cabeças, dominós, cores, sentidos e outros.
 
 
GRUPO DA TERCEIRA IDADE
 
Realizado semanalmente, às quartas-feiras, abrangendo o D4. Os pacientes do grupo D4 são idosos que apresentam limitações físicas e psíquicas e pouca autonomia em suas tarefas diárias. Com este grupo, desejamos construir uma velhice positiva para nossos idosos institucionalizados, promovendo uma maior participação social, fazendo-os sentir vivos e ativos, preservando sua autonomia e autoconfiança, conduzindo a uma revalorização dessa etapa da evolução humana, com resgate da autoestima, alegria e descoberta das potencialidades.
 
 
 
 
GRUPO DE PROVIDÊNCIA
 
Este grupo ocorrerá semanalmente abrangendo todos os pacientes. O objetivo é atender as principais necessidades e solicitações dos pacientes, visando o seu bem-estar no hospital como compra de roupas, calçados, envio de correspondências, telefonemas para as famílias, agilizações de licenças terapêuticas, compra de presentes de aniversário e natal entre outros.
 
 
VI – DESCRIÇÃO DE PROJETOS
 
01- Projeto Arte-Argila
02- Projeto Informática
03- Projeto C.C.I
04- Projeto Pastoral da Saúde
05- Projeto interação, esporte, lazer e cultura
06- Projeto social, recreativo, esportivo com a FAI
07- Projeto CRAS
08- Projeto educação especial – APAE
09- Projeto atividades sociais
10- Projeto Religiosidade
11- Projeto A.V.D
 
 
PROJETO ARGILA 
 
Este projeto é desenvolvido na escola Eudécio Luis Vicente, uma vez por semana, com a parceria entre a CRNL e E.T.E.C. Tem por objetivo proporcionar condições de desenvolvimento da atenção, concentração, organização, percepção, tolerância, interesse, coordenação motora, criatividade, integração grupal e relacionamentos interpessoais.
 
 
 PROJETO INFORMÁTICA
 
          Este projeto é desenvolvido na escola Eudécio Luis Vicente, uma vez por semana, com a parceria entre a CRNL e E.T.E.C. Tem por objetivo aproximar o paciente das tecnologias da informática, proporcionando o uso do computador através da iniciativa, compreensão de instrução, autoconfiança, atenção, memorização e abrindo espaços para a integração e socialização.
 
 
PROJETO INTERAÇÃO COM O CENTRO DE CONVIVÊNCIA DO IDOSO (C.C.I.) 
 
Acontecerá de finais de semana, preferencialmente aos domingos à tarde, onde os pacientes participarão de bailes e festas organizadas pelos integrantes do clube da terceira idade, como forró. Tem por objetivo reintegrar, socializar e humanizar os pacientes crônicos residentes junto à comunidade, proporcionando a experiência de como viver com o ambiente externo.
 
 
PROJETO PASTORAL DA SAÚDE
 
Integrantes da pastoral da saúde da igreja católica, Paróquia Santo Antonio e Nossa Senhora de Fátima, visitam os pacientes da Clínica mensalmente, proporcionando uma integração com a comunidade através de orações, musicas religiosas, salgados e refrigerantes .
 
 
 
PROJETO INTEGRAÇÃO, ESPORTE, LAZER E CULTURA
 
Trata-se de atividades esportivas realizadas através de parceria entre a Secretaria de Esportes de Adamantina e CRNL. Consiste na realização de varias atividades na área de esporte, lazer e cultura nas dependências esportivas da CRNL, objetivando integração social e divulgando serviços na comunidade.
 
 
PROJETO SOCIAL, RECREATIVO, ESPORTIVO COM A FAI
 
As atividades serão desenvolvidas no campus III da FAI por meio de futebol, basquete, vôlei, piscina, objetivando integração e socialização dos pacientes junto a comunidade, auxiliando-os na preparação de atividades físicas, recreativas e sociais.    
 
 
PROJETO OFICINA DE CONVIVÊNCIA E TERAPÊUTICA COM IDOSOS E PORTADORES DE DEFICIÊNCIA (BPC) EM PARCERIA COM CENTRO DE REFERÊNCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL DE ADAMANTINA (CRAS)
 
Este projeto ocorre uma vez por semana na sede do CRAS, abrangendo oito pacientes da CRNL, onde são desenvolvidas atividades manuais, recreativas e culturais assim como roda de convivência, objetivando o restabelecimento de vínculos afetivos e socialização.    
 
 
PROJETO EDUCAÇÃO ESPECIAL – APAE 
                        
Três pacientes freqüentam a APAE no sentido de promover a alfabetização, os aspectos ligados ao processo ensino-aprendizagem, a participação na vida escolar e a relação escolar/comunidade.    
 
 
PROJETO RELIGIOSIDADE
                           
Os pacientes da CRNL frequentam centros religiosos como: Igreja Católica com a participação nas missas, Igreja Evangélica com participação nos cultos e o Centro Espírita Ave Cristo. Tem como objetivo proporcionar a religiosidade e convívio social.    
 
 PROJETO ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA  - A.V.D
 
Realizado diariamente pela equipe técnica e funcionários através de orientações, estímulos e auxílio na execução das atividades de vida diária de acordo com as necessidades de cada paciente. Estas orientações direcionam-se a higiene bucal, uso de talheres, cuidados com as unhas, cabelos, vestimentas, calçados e higiene pessoal (lavar mãos e rosto, banho, controle de esfíncteres, uso adequado do vaso sanitário e papel higiênico, uso de desodorantes e hidratantes).     
 
 PROJETO ATIVIDADES SOCIAIS
 
Serão desenvolvidas atividades com intuito de socializar os pacientes internamente por meio de missas e cultos evangélico nas dependências da clínica, bingos, gincanas, karaokês, festa dos aniversariantes e datas comemorativas, e externamente através de: passeio ao cinema, sorveterias, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, teatro, chácaras, balneários, shopping, supermercados, festas da comunidade (festa do peão, do guaraná, feira do verde, etc...), passeio de ônibus e piqueniques.
       Dentre estas atividades, duas serão enfatizadas e desmembradas:
 
1- PROJETO CANTINA– Uma vez por mês os pacientes irão na cantina da clínica, onde serão oferecidos, salgadinhos, doces e refrigerantes, objetivando aproximá-los socialmente e proporcionado oportunidades de iniciativa, escolha, contato afetivo e estimulando o sistema volitivo, suprimido pelos longos anos de internação.  
 
2- PROJETO SUPERMERCADO– Este projeto tem por objetivo socializar e integrar os pacientes através de compras no supermercado. Cada paciente receberá uma quantia pré-estabelecida no fazer de suas compras. Com isso, a equipe técnica pretende estimular os aspectos volitivos e cognitivos como escolha, iniciativa, significado social do dinheiro, associação produto/valor, responsabilidade, autoestima e autoconfiança.    
 
 
 
 VII – AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO 
                                 
Após a realização dos grupos terapêuticos e outras atividades, serão feitos registros nos prontuários como evolução, e quando discutido em reunião de equipe, registrado em ata.
 A avaliação da execução do programa será realizada através de reuniões:
REUNIÃO DE EQUIPE – Realizada semanalmente com objetivo de avaliar o tratamento de cada paciente, como também o resultado dos trabalhos realizados com os mesmos. Assim será verificada a melhor conduta a ser tomada com o paciente que não estiver respondendo ao tratamento.
REUNIÃO TÉCNICO-ADMINSTRATIVA – Realizadaquinzenalmente com a equipe técnica, diretor clínico e administrativo, com objetivo de solucionar as dificuldades encontradas no desenvolvimento do projeto terapêutico e inter-relacionamento entre as equipes.
REUNIÃO ADMINISTRATIVA – Realizada mensalmente com a participação de todos os setores do hospital, objetivando levantar as dificuldades encontradas no funcionamento dos diferentes setores relacionados aos pacientes e funcionários entre si.
         
         
VIII – ATUAÇÃO DAS EQUIPES
 
 

 PSIQUIATRIA

Cabe ao médico psiquiatra elaborar o esquema psiquicofarmacológico e adequar às condições dos pacientes, bem como reavaliar o andamento dessa farmacologia.

 
                                    
CLÍNICA MÉDICA

 O médico clínico é responsável pelo diagnóstico e tratamento de problemas orgânicos, concomitantemente ao tratamento psíquico dos pacientes. Tem por objetivo mitigar, aliviar sofrimentos orgânicos e esclarecer a relação entre situação orgânica e psíquica. 

 
                             
PSICOLOGIA      
 
A psicologia utilizará técnica de autoquestionamento, visando diminuir os aspectos psicológicos dos pacientes, na tentativa de amenizar a ansiedade, angústia, isolamento, fazendo com que o paciente aumente sua autoestima e consiga se organizar psiquicamente, bem como melhorar seu relacionamento familiar e social.
Os atendimentos individuais serão realizados de acordo com a dificuldade de cada paciente, e quando a equipe julgar necessário.   
 

ENFERMAGEM

 A enfermagem tem como objetivo promover, estimular, orientar e supervisionar cuidados com a higiene; intercorrências orgânicas e psíquicas; adequar a rotina hospitalar relacionada a medicação, banho, higiene e demais procedimentos relacionados a enfermagem, elaborando plano de assistência de cuidados específicos, informando a equipe sobre alteração do quadro clínico e/ou psiquiátrico. 

- Orientar, supervisionar, treinar a equipe de enfermagem (Auxiliar de Enfermagem e Enfermeiros).
- Realizar reuniões mensais com a equipe de enfermagem (Auxiliar de Enfermagem e Enfermeiros).  
 
                              
 TERAPIA OCUPACIONAL
                                         
A terapia ocupacional tem por objetivo determinar os níveis de habilidades, capacidades, limitações ou déficits apresentados pelos pacientes, na tentativa de amenizar as conseqüências negativas da hospitalização, promovendo uma reorganização psíquica, estimulando a afetividade e melhorando a qualidade de vida através das atividades desenvolvidas.
Também é de responsabilidade da terapeuta elaborar e implantar normas técnicas e diretrizes de trabalho aos monitores de terapia ocupacional, supervisionando sua aplicação na execução das atividades.
Os pacientes poderão participar das atividades:
- Manuais e Artísticas: atividades dirigidas e artesanais;
- Atividades de Limpeza interna e externa;
- Atividade em diversos setores, através de arrumação de camas, auxílio ao atendimento médico, auxílio na cozinha, refeitório, lavanderia e dentre outros.  
                                          
SERVIÇO SOCIAL
                                            
A assistente social tem como objetivo: promover a socialização dos pacientes, através das atividades internas e externas; contato com as famílias com a finalidade de reconstituir e fortalecer vínculos afetivos, por meio de licenças terapêuticas e telefonemas; providenciar compras de roupas, calçados, presentes de aniversários e assessórios e encaminhamento de pacientes para aquisição de documentos pessoais, benefícios de Prestação Continuada (BPC).
Rotina Social: registro das atividades, elaboração de relatórios sociais, encaminhamentos para especialistas quando necessário.   
 
 
EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA
 
O educador físico tem como objetivo dar a todos os pacientes, oportunidade de conhecer e vivenciar os benefícios da educação física, de uma forma prazerosa, mesmo que de uma forma ou outra, nem todos possam fazer nenhum tipo de atividade motora.
 
RECURSOS FÍSICOS    
 
- Lúdico Recreativo;
- Campo de Futebol;    
- Ginásio de Esportes;
- Sala de TV;
- Parquinho;
- Clubes da Cidade;
- Sala de Atendimento.
 
AVALIAÇÃO
 
A avaliação do projeto terapêutico será feita semanalmente através de reuniões com a equipe interdisciplinar.
Adamantina/SP

Endereço:
Av: Hermenegildo Lopes Pedroso, nº 500 - Itamarati - Adamantina/SP CEP: 17800-000
Telefone: 
(18) 3521-1984      
© Copyright Instar E-mail Marketing, E-mail e Sites - 2006-2018. Todos os direitos reservados.